quinta-feira, 26 de março de 2009

E a dona da Daslu, que foi presa de novo? E a advogada dela, falando bobagem em cima de bobagem?
UPDATE em 27.03.09. Respondendo ao excelente comentário da LuMa: acho que a sede de vingança é reprovável. Acredito que tomar o caso como exemplo, ou popularmente, pegar a "mulher para Cristo", é um desejo de descarregar em uma pessoa bem sucedida as frustações da sociedade pobre e menos favorecida. De outro lado, se cometeu algum ilícito, deve pagar por isso, como deveriam fazê-lo todas as pessoas.
Quando disse que a advogada dela falou bobagem, era que ela estava prestando declarações desnecessárias, já que a publicização de argumentos como "a sentença foi dada na calada da noite" não ajuda em nada na defesa da Srª Tranchesi. A melhor alternativa, no caso, era preparar um habeas corpus, e não ficar dando declarações dessa natureza.

2 comentários:

LuMa disse...

Adrina, uns 20 anos atrás, a dona da Daslu e eu tínhamos alguns fornecedores(de grife) em comum por aquí. Na época, ela ainda estava iniciando, e tudo o que ela comprava, cabia apenas numa mala. (não a conheço, pois nunca fui apresentada). Ao longo dos anos, ví com meus próprios olhos o aumento do seu volume de negócios e, honestidade à parte, não pude deixar de admirá-la. Ela, como qualquer outra sonegadora de impostos, deveria pagar a pena, mas acho que o povo não deveria crucificá-la apenas por revanche, pois a reação do povo está parecendo mais uma vingança contra a "personificação" do mal, da riqueza fácil, da maracutaia brasileira e das próprias frustrações. Afinal, deve pagar pelo que fez, e não pelo que representa. O que vc acha?

LuMa disse...

Adrina, como é de sua característica, foi precisa e rigorosa na análise. Nada como ouvir de quem carrega uma bela bagagem profissional. Beijos,